• search
  • Entrar — Criar Conta

Retrato falado de Socorro Evangelista

Artista plástica e professora aposentada do Departamento de Arte da UFRN, tornada potiguar pela longa vivência da nossa terra, seu nome evoca a arte do  aquarelismo e duma atuante militância no meio artístico da cidade.

*Franklin Jorge

[email protected]

Quando nasceu?

Em 11 de julho

Onde?

Nasci em Caiçara/PB. Meus pais me registraram como filha de Macaíba/RN. Assim, oficiosamente, sou macaibense. Fiz minha alfabetização em Macaíba, onde logo comecei a ouvir das pessoas poesias e o nome de Auta de Souza.

Quem são seus pais?

Graciano Francisco de Oliveira e Laura Maria de Oliveira

De onde são seus pais?

Ambos São de Caiçara/PB

O que herdou de seu pai?

Um lado poético e comercial.

E de sua mãe?

O gosto pelo artesanato, bordado, costura e moda. E o gosto por viagens.

Quem é você?

Sou uma herança de misturas trabalhadas por Deus e moldada com as pinceladas da sensibilidade da arte e poesia. Sou uma pessoa inquieta com a vontade de produzir mais e mais. Criativa e com espírito de fraternidade cristã, preocupada sempre em partilhar com o outro.

Dê-nos fatos para esclarecimento de heranças.

A convivência com meus pais, Minhas avó paterna e tia paterna, deixaram-me de herança esse legado cultural de valores artístico e sobretudo, respeito a Deus e Nossa Senhora. Respeito humano, amizade e o meu respirar arte como um todo. Minha maior herança é o respeito pelo próximo e minha dignidade e honestidade.

Como foi sua infância?

Minha infância foi construída nesse bordado de brinquedos populares, brincadeiras folclóricas, como pastoris, brincadeiras de roda, entre outras. Fui uma criança muito alegre, mimada e querida.

Como brincava?

Brincava com boneca sozinha ou com minhas irmãs. Aprendi a confeccionar bonecas de pano e costurar suas roupas. Cantava como em um palco e criava dramatizações. Gostava de circo.

Mais fatos.

Até os 5 anos de idade estive em Macaíba e depois migramos para Natal, onde fiz meus estudos no Fundamental.  Na 3a série primaria fui para o internato no Colégio Nossa Senhora das neves. Na 4a série, junto com minhas irmãs que não quiseram se internar, fui para o colégio Sagrada Família, do padre Martinho, onde fiquei até a 5a série. Aos 14 anos fomos morar em Macau, onde meu pai já tinha estabelecido loja de sapataria em Macau, como pequeno empresário. Em Macau a convite de padre Penha e dois grandes amigos professores: Manoel Montenegro e Graziano, conclui o curso de admissão. Fui convidada para dar aulas no colégio do padre como trabalhos manuais sob a orientação da professora Eunice Galvão. Ingressei no movimento de Bandeirantes e chefe Àquela de lobinhos no movimento escoteiro. Em Macau me casei com o professor de História Geraldo Lucas. A convite de padre José Luiz, meu marido foi convidado para a criação do primeiro colégio preparatório para vestibular em Pendências. Retornando a Macau, tive 2 filhos: Caius Marcellus e Ícaro Alexandro. Em 1971 viemos de mudança definitiva para Natal/RN. Aqui tive duas filhas: Kadja Christine e Sarah Christiane. Fui convidada por algumas freiras para dar aulas no colégio Nossa Senhora das Neves. E em 1976 iniciei meu curso de Educação Artística, na primeira turma da UFRN. Fui bolsista no Museu Câmara Cascudo. Em 1980 fiz concurso de professor para UFRN. Paralelamente iniciei oficialmente minha carreira artística, de professora e pesquisadora na área das artes.

O que tem feito?

Tenho trabalhado como professora e artista e pesquisadora na área das artes. Hoje estou aposentada pelo departamento de artes da UFRN. Continuo pintando participando de exposições de arte, atuando na área da poesia. Sou membro do Guap. Como aquerelista e cofundadora e membro da Associação Literária e Artística da Mulher Potiguar/ ALAMP. Continuo produzindo coisas…