• search
  • Entrar — Criar Conta

Escrever é uma festa

Escritor e roteirista americano, célebre por suas obras Farenheit 451 e Crônicas marcianas acredita que escrever não é um ato mecânico, defende a produção em quantidade da qual se torna possível extrair a qualidade, e, para ele, cada página escrita seria como um guarda-chuva a proteger seu autor contra os males do mundo.

*Ray Bradbury

[email protected]

No ano em que abandonei o ensino médio em Los Angeles, adotei o regime de escrever uma história por semana pelo resto da vida. Eu sabia que sem quantidade não poderia haver qualidade. Senti que minhas histórias daquela época eram tão ruins que só a prática poderia tirar os velhos negócios da minha mente e permitir que as coisas boas fluíssem. Enquanto isso, tentei colocar o máximo de experiência literária possível – boa, ruim, indiferente ou excelente – em meus olhos para que, esperançosamente, ela saísse dos meus dedos.

Então, toda segunda-feira eu escrevia um primeiro rascunho da história que estava surgindo na minha cabeça. Na terça-feira escrevi o segundo rascunho.

Na quarta, quinta e sexta-feira apareceram a terceira, quarta e quinta versões. No sábado, produzo a versão final. No domingo eu desmaiava na praia por um dia, com Leigh, e na segunda começava uma nova história. Tem sido assim por cerca de quarenta e quatro anos. Ainda escrevo uma história por semana, ou o equivalente. Agora escrevo sete ou oito poemas em uma semana, ou uma peça em um ato, ou três capítulos de um romance, ou um ensaio. Mas agora, como antes, o mesmo número de páginas: entre dezoito e trinta e duas por semana.

Apresso-me a acrescentar que isso não é mecânico. Não exijo contas. Não é necessário. Amo o que faço, como uma mãe ama seus filhos, mesmo que sejam chatos ou feios. Você pode gostar ou não de meus filhos, mas quando os escrevi, lavrei com minha máquina de escrever e colhi parágrafos. Deus protege os jovens escritores e faz com que ignorem, enquanto escrevem, quão distantes estão. É por isso que a produção em quantidade é importante. As boas histórias que são escritas depois são um guarda-chuva sobre as más histórias que se deixam para trás ao longo dos anos. Tudo é compensado. E se você gosta de escrever, é uma verdadeira festa.

Ray Bradbury

Introdução à Memória de Crimes

Foto: Ray Bradbury

Créditos: Corbis

Política de Privacidade — Garantir a confidencialidade dos dados pessoais dos usuários é de alta importância para nós, todas as informações pessoais relativas a membros, assinantes, clientes ou visitantes que utilizam nossos sistemas serão tratadas em concordância com a Lei da Proteção de Dados Pessoais de 26 de Outubro de 1998 (Lei n.º 67/98). As informações pessoais recolhidas podem incluir nome, e-mail, telefone, endereço, data de nascimento e/ou outros. O uso de nossos sistemas pressupõe a aceitação deste Acordo de Privacidade. Reservamos o direito de alterar este acordo sem aviso prévio, por isso recomendamos que você verifique nossa política de privacidade regularmente para manter-se atualizado(a). Anúncios — Assim como outros sites, coletamos e utilizamos informações contidas em anúncios, como seu endereço de IP (Internet Protocol), seu ISP (Internet Service Provider), o navegador utilizado nas visitas a nossos sites (Chrome/Safari/Firefox), o tempo de visita e quais páginas foram visitadas. Sites de Clientes — Possuímos ligação direta com os sites de nossos clientes, os quais podem conter informações/ferramentas úteis para seus visitantes. Nossa política de privacidade não se aplica a sites de clientes, caso visite outro site a partir do nosso, deverá ler sua própria politica de privacidade. Não nos responsabilizamos pela política de privacidade ou conteúdo presente nesses sites. Para maiores informações, entre em contato conosco.