• search
  • Entrar — Criar Conta

Do espírito da bebida

Colaborador de Navegos escreve sobre seriado da Amazon Prime inspirado na obra clássica de Luís da Câmara Cascudo sobre a Alimentação no Brasil e amplia nosso conhecimento da cultura Brasileira.

*Alexsandro Alves

Muitas vezes, quando estudamos hábitos de povos antigos, nos deparamos com situações que viram nossas certezas pelo avesso.

Mestre Cascudo nos fala de um momento assim quando observa nossos hábitos de consumo de bebidas.

Tradicionalmente, bebemos socialmente. Isso significa que bebemos pouco, com parcimônia e nunca ultrapassamos o limite de podermos, bebendo, dialogar. Em tese, claro…

Nós temos momentos para beber e são muitos e bem recortados. Numa solenidade, após a refeição, numa conversa informal, para comemorar uma vitória, para lamentar um fracasso… Bem, parece que bebemos sempre. E é. De fato é assim.

Com os indígenas isso é diferente, pra variar, certo?

Eles praticamente, durante todo o ano, não consomem bebidas alcoólicas. Há um momento em cada ano em que passam três dias bebendo sem parar, mas no decorrer do ano, se abstêm. O indígena não observa a bebida como mero prazer, precisa haver uma necessidade além disso. Mesmo quando nesses rituais de três dias eles bebem sem parar, quase nenhum fica ébrio. Indígena bêbado é fruto ocidental.

As bebidas indígenas têm mais a ver com a saúde do que com o prazer de uma noite sociável com amigos. A bebida precisa dar sustança ao corpo. Por isso suas bebidas preferidas são sempre caldos fortemente energéticos a base de mandioca com acréscimo de frutos dos rios, peixes e camarões, por exemplo.

Há uma fruta pouca conhecida no país, mas muito popular no Maranhão, chamada juçara, semelhante ao açaí, que de seu suco se produz um vinho e ao tomar esse vinho o indivíduo tem força e resistência para o dia inteiro, não necessitando de qualquer outro alimento.

Quando os portugueses desembarcaram no que imaginam serem a Índia do oriente, encontraram hábitos que causariam admiração e também repugnância.

Nessa segunda categoria, estava o hábito indígena de mastigar as frutas com o qual preparavam sucos e depois cuspi-las e misturá-las a água. Isso causou deveras impressão negativa nos europeus. Imaginem…

Política de Privacidade — Garantir a confidencialidade dos dados pessoais dos usuários é de alta importância para nós, todas as informações pessoais relativas a membros, assinantes, clientes ou visitantes que utilizam nossos sistemas serão tratadas em concordância com a Lei da Proteção de Dados Pessoais de 26 de Outubro de 1998 (Lei n.º 67/98). As informações pessoais recolhidas podem incluir nome, e-mail, telefone, endereço, data de nascimento e/ou outros. O uso de nossos sistemas pressupõe a aceitação deste Acordo de Privacidade. Reservamos o direito de alterar este acordo sem aviso prévio, por isso recomendamos que você verifique nossa política de privacidade regularmente para manter-se atualizado(a). Anúncios — Assim como outros sites, coletamos e utilizamos informações contidas em anúncios, como seu endereço de IP (Internet Protocol), seu ISP (Internet Service Provider), o navegador utilizado nas visitas a nossos sites (Chrome/Safari/Firefox), o tempo de visita e quais páginas foram visitadas. Sites de Clientes — Possuímos ligação direta com os sites de nossos clientes, os quais podem conter informações/ferramentas úteis para seus visitantes. Nossa política de privacidade não se aplica a sites de clientes, caso visite outro site a partir do nosso, deverá ler sua própria politica de privacidade. Não nos responsabilizamos pela política de privacidade ou conteúdo presente nesses sites. Para maiores informações, entre em contato conosco.